Blog Post

Quando criança, você tinha uma brincadeira predileta?

Outro dia, uma mãe me disse que, com a pandemia e a convivência extrema com os filhos, tinha chegado à conclusão de que era “inapta” para brincar.

Ela sofria com a demanda de atenção das crianças. Segundo ela, pela manhã preparava um canto para brincarem com massinha para brincarem enquanto cuidava das suas coisas. Depois desenhava um pouco com as crianças e corria para novas obrigações. Voltava e lia uma história. Corria de novo. Apelava para a televisão. Corria mais um pouco.

Cansada, essa mãe sentia esgotar seu repertório de brincadeiras. Mas ao olhar o relógio entre uma atividade e outra, percebia que era só meio dia. E as crianças orbitando em torno da mãe pareciam querer sempre mais.

Aí está um problema de todas nós, mulheres com filhos. Solução? Receita mágica? Não tem. Cada idade tem sua demanda. Cada criança tem suas preferências e desejos. E o que não deveria acontecer é as crianças se tornarem um fardo. Elas precisam de nós. Mas você já pensou o quanto nós precisamos delas? Elas são a conexão para não esquecermos que somos humanas, cansamos, temos limites. Mas que também temos criatividade, riso fácil, um corpo para explorar.

E quando é que a gente esqueceu de tudo isso? Vamos olhar para a nossa trajetória. Crescemos, passamos batom, colocamos um salto e ficamos de olho na expectativa que os outros tem sobre nós. O mundo profissional nos exige conhecimentos, técnica e máscaras. Sim, máscaras porque muitas vezes deixamos de ser nós mesmas para sermos apenas adultas com suas responsabilidades e prazos.

E aí vem as crianças. E começam nossas dores. Deixamos de nos permitir sentar no chão. Quantos adultos já encontrei que não estavam confortáveis para tirar o sapato e fazer uma careta bem feiosa, sem medo de parecer ridículo ou bobo.

Não, não tem receita mágica. O único conselho é: quando estiver com suas crianças, se permita ser o que quiser. A sua imaginação está lá, guardada em algum lugar. Acredite que ela existe sim. Você só precisa começar a acessá-la. Vestir um chapéu qualquer, entrar no castelo feito com lençóis e cadeiras no meio da sala e fazer a risada de bruxa pode ser o primeiro exercício.

Parece difícil? Tem outro caminho mais fácil. Nas minhas longas conversas com adultos que se sentem sobrecarregados pelas exigências das crianças, gosto de fazer uma pergunta: qual era sua brincadeira predileta quando criança? Invariavelmente, depois de alguns segundos pensando, as pessoas desaguam uma enxurrada de memórias.

Dificilmente é uma brincadeira só, pois cada fase da infância teve sua aventura. E mergulhar nessas lembranças nos conecta de uma maneira incrível com as nossas crianças. Rende muitas conversas.

Você já contou para os seus filhos que você também foi criança e do que gostava de brincar? E que tal ensinar a eles essas brincadeiras prediletas? Lembre que as crianças são seres cheio de conhecimentos e deixe que elas também ensinem para você as suas brincadeiras preferidas.

A vida precisa ser mais leve. Permita-se brincar.

 

Comentários (2)

  1. Eli Galdino de França 27 de novembro de 2020 at 5:48 am Responder

    Não sou mãe, mas dedico 💯 % do meu tempo para os meus filhos. Sou um pãe e tenho muito orgulho disto.

    1. Luciane Motta 27 de novembro de 2020 at 9:49 am Responder

      Ah, Eli! Que coisa boa é ler isso. Sigamos assim enquanto nossas crianças demandarem. Eles crescem bem rápido e aí a gente fica meio de lado para que sigam suas vidas pelas próprias pernas. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Alergias alimentares na infância

Nesse mês, tenho falado sobre alergias alimentares entre bebês por ser uma demanda recorrente

Bom ano, boa vida: como lidar com o processo do divórcio

Mais um ano se inicia e, com ele, mais sonhos e planos querem sair

Telas, vamos ser sinceras

Nossa conversa hoje é para acalmar o coração das mães. Deixe a culpa de

Natal e fotografia de parto: como será que foi o parto de Maria de Nazaré?

Quando a gente fala em fotografar o parto muita gente acha estranho. Até eu,

Não há ordem de alimentos para seu filho comer bem com BLW

Chegou a introdução alimentar e começam as orientações de dieta infantil, assim como determinações

Por que devemos repensar nossos objetivos quanto à alimentação dos bebês?

Pensei bastante o que traria nesse primeiro texto e achei mais do que oportuno

Black Friday na Editora Timo: no mês do nosso aniversário, vamos de best friday!

Leitores da Editora Timo, em nosso mês de aniversário também acontece a Black Friday

Fotografia de parto: registro potente para a transformação. Mas, vamos falar de empatia?

Uma boa foto é aquela que não precisa de legenda. Ouvi essa frase há

Bate-papo com a autora da Editora Timo: Alessandra Gaidargi

  “A maternidade além de ser importante é solução. Ela não é problema. Sem a

Amamentação: encaixe entre mãe e bebê e ajuste de pega para o fluir do aleitamento 

Amamentar é direito de toda mulher e de todo bebê. Partindo desse princípio, do

Baby-Led Weaning, o livro: 5 benefícios do BLW para bebês

Se você ainda desconfia ou está em dúvida se o método de introdução alimentar

Introdução alimentar de bebês e BLW: contamos na íntegra a história do Baby-led Weaning

História boa vocês já sabem, a gente gosta e gosta muito! Por isso, compartilhamos

Precisamos conversar sobre o choro do bebê

Em Presente para a Vida Toda, você lerá “Nós, adultos, também choramos, quando temos