Blog Post

Não há ordem de alimentos para seu filho comer bem com BLW

Chegou a introdução alimentar e começam as orientações de dieta infantil, assim como determinações das mais variadas de quantidade, consistência, modos e até sugestões de como avaliar o crescimento do bebê. Sim, para o desespero de mães que já estão sobrecarregadas, é praticamente um “deposite aqui sua ficha sobre ______ (preencha aqui o tema da maternidade) e espere a sua vez de se frustrar”.

Isso porque introdução alimentar parece ser sinônimo de frustração. Certo? As mães que já passaram pela IA podem atestar, no dia a dia, não é prático, faz muita sujeira, muitas vezes se tem a impressão de que a criança não come – e de que ela vai mamar muito mais (provavelmente ela vai, mas esse é assunto para outro post).

Por hoje, queremos falar que ao fazer BLW não é preciso seguir uma lógica rígida dos alimentos a serem oferecidos. Guias comuns de alimentação infantil determinam os caminhos a serem seguidos. A primeira coisa a saber sobre essas orientações, de acordo com o livro Baby-Led Weaning: O Desmame Guiado Pelo Bebê é que “muitos desses conselhos vêm de quando os sólidos costumavam ser dados aos bebês de quatro, ou até mesmo três meses de idade.” 

A recomendações do Baby-Led recomenda, então, começar com ingredientes naturais! Simples, não?

Servir o máximo de alimentos frescos possível e cozinhar sem adicionar sal ou açúcar. Muitas pessoas começam com legumes puros ao vapor ou frutas, mas, embora esses alimentos sejam provavelmente mais fáceis de manipular para seu bebê, não há motivo para não compartilhar com ele um ensopado, uma salada, macarrão, carnes e legumes refogados ou assados – ou qualquer outra coisa que possa incluir formatos adequados.


Assim, o livro recomenda a seguinte lógica: 

  • alimentos nutritivos – nada altamente processado ou com adição de sal e açúcares.
  • alimentos de cada um dos principais grupos alimentares pelo menos uma vez ao dia – uma ampla variedade de alimentos ao longo da semana para que seu bebê tenha a chance de provar diferentes sabores e texturas.
  • tamanhos e formas que seu bebê possa manipular (lembrando-se que suas habilidades se desenvolvem rapidamente).

Por isso, para além de pensar em cardápios rígidos, pensados e feitos somente para o bebê, por que não fazer para a família inteira baseando-se por nutrição, sem sal ou açúcares, variedade e grupos alimentares, formatos adequados para a idade. Possivelmente, o processo da introdução alimentar fica menos “pesado”, o que não quer dizer que seja rápido, que não faça sujeira e que não canse. Mas sair da lógica da obrigação e partir para a lógica da experiência em família pode ser uma abertura para todos se nutrirem – e não só de alimentos. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Alergias alimentares na infância

Nesse mês, tenho falado sobre alergias alimentares entre bebês por ser uma demanda recorrente

Bom ano, boa vida: como lidar com o processo do divórcio

Mais um ano se inicia e, com ele, mais sonhos e planos querem sair

Telas, vamos ser sinceras

Nossa conversa hoje é para acalmar o coração das mães. Deixe a culpa de

Natal e fotografia de parto: como será que foi o parto de Maria de Nazaré?

Quando a gente fala em fotografar o parto muita gente acha estranho. Até eu,

Como aliar o período das festas com a alimentação saudável das crianças

Mesmo em um momento inédito devido à pandemia, a maioria das famílias terá mudanças

Quando criança, você tinha uma brincadeira predileta?

Outro dia, uma mãe me disse que, com a pandemia e a convivência extrema

Por que devemos repensar nossos objetivos quanto à alimentação dos bebês?

Pensei bastante o que traria nesse primeiro texto e achei mais do que oportuno

Black Friday na Editora Timo: no mês do nosso aniversário, vamos de best friday!

Leitores da Editora Timo, em nosso mês de aniversário também acontece a Black Friday

Fotografia de parto: registro potente para a transformação. Mas, vamos falar de empatia?

Uma boa foto é aquela que não precisa de legenda. Ouvi essa frase há

Sal é ruim para bebês? Posso colocar sal na comida do meu filho?

O sal é um alimento consagrado como essencial na culinária popular e familiar brasileira.

Bate-papo com a autora da Editora Timo: Alessandra Gaidargi

  “A maternidade além de ser importante é solução. Ela não é problema. Sem a

Amamentação: encaixe entre mãe e bebê e ajuste de pega para o fluir do aleitamento 

Amamentar é direito de toda mulher e de todo bebê. Partindo desse princípio, do

Baby-Led Weaning, o livro: 5 benefícios do BLW para bebês

Se você ainda desconfia ou está em dúvida se o método de introdução alimentar

Introdução alimentar de bebês e BLW: contamos na íntegra a história do Baby-led Weaning

História boa vocês já sabem, a gente gosta e gosta muito! Por isso, compartilhamos

Precisamos conversar sobre o choro do bebê

Em Presente para a Vida Toda, você lerá “Nós, adultos, também choramos, quando temos