Sabe aquela ideia de que a comida do bebê deve ser preparada no vapor, sem adição de nada? Já caiu por terra faz tempo! Desde quando o bebê começa a comer, ele pode conhecer os alimentos bem próximos daquilo que esperamos da alimentação saudável para uma família.

Afinal, pode temperar?

Temperar a comida com ingredientes naturais, como alho, cebola, salsa, manjericão, orégano, cúrcuma, cominho, é uma estratégia para diversificar os sabores que estamos apresentando à criança e, inclusive, ajudar na aceitação das refeições.

Afinal, não usamos temperos à toa: eles ajudam a deixar tudo mais saboroso!

Tempero: só natural, nada de industrializados!

Muitas vezes, nos preocupamos em oferecer diferentes alimentos ao bebê, mas não nos damos conta que podemos transformar um mesmo alimento a partir da forma como ele é preparado! Ah… Mas uma informação importante sobre os temperos!

Não é recomendado usar aqueles temperos de tablete ou em pó industrializados, certo?

E o sal no preparo dos alimentos do bebê: é o vilão?

E o sal? Esse é um ingrediente culinário polêmico por causa do sódio que, por sua vez, é um mineral cujas necessidades do bebê são bem pequenas. Em excesso, o sódio pode sobrecarregar o funcionamento dos rins da criança, que ainda estão se desenvolvendo.

Também precisamos considerar que uma pessoa, em geral, usa muito mais sal do que o necessário e, dessa forma, a chance de um bebê extrapolar na ingestão de sódio pode aumentar.

Recomendações oficiais da Sociedade Brasileira de Pediatria

Assim, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que os alimentos sejam preparados sem sal até os doze meses. Já o Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de Dois Anos sugere que o sal pode ser usado, desde que com moderação. A moderação é exemplificada da seguinte forma: 1 quilo de sal deveria durar 75 dias para uma família com 4 pessoas que faça a maioria das refeições em casa.

Dúvida comum no preparo dos alimentos do bebê: pode usar óleo?

Outro ingrediente que algumas pessoas ficam com dúvida é o óleo! Usar óleos vegetais ou mesmo um pouco de manteiga ou gordura do porco para o preparo dos alimentos ajuda não somente no sabor, mas também para que algumas vitaminas sejam melhor absorvidas, além de colocar algumas calorias adicionais na refeição de um bebê que, muitas vezes, será limitada a algumas poucas colheradas.